Kléber Araújo lança Cinema Novo

A sua música está intrinsecamente vinculada à Cultura Nordestina. O seu repertório conta com baiões, xotes, arrasta-pés, cocos e, principalmente, o frevo.
Nos anos 80 participou como intérprete de festivais de música na região de Arcoverde, sua terra natal, tendo em uma das versões participado como intérprete da música vitoriosa – Galope Aflito (Paulinho Leite – Múcio Magalhães). 
No início dos anos 90, foi um dos fundadores do Movimento Anárquico Cultural Forró Itinerante na cidade de Mossoró (RN), tendo atuado como coordenador da parte musical. Como não poderia deixar de ser, era também componente, como vocalista, do grupo de artistas que fazia as apresentação musicais. Esse projeto teve grande repercussão local, sendo considerado até hoje um dos marcos da cena cultural daquela Região.
Em 2003 e 2004 participou do FORRAÇO – Festival de Música Regional do Rio Grande do Norte tendo classificado duas canções de sua autoria, com destaque para “O Xote Derradeiro”, que obteve a quarta colocação.
Em 2007, na comemoração do Centenário do Frevo, lançou o CD “Frevo, Amor e Confete”, trabalho que registrou composições de sua autoria e de compositores de renome no Estado. De Getúlio Cavalcanti foi gravado o belo frevo canção “O Frevo é o Meu Lugar”. O poeta Chico Bezerra comparece no repertório com o frevo de bloco “Gilbertiana”. De Tonino Arcoverde, conterrâneo de Kleber, foi gravado o frevo canção “Na Ribeira”. Gustavo Tiné aparece com “A Mulher que Vira Peixe”. Foram lançados no CD, como estreantes na seara do frevo, outros compositores. É o caso de Fernando Duarte, Múcio Magalhães, Fábio Simões e o forrozeiro, já consagrado, Paulinho Leite.
No de 2010 obteve com o frevo canção “Frevo das Rosas” o terceiro lugar no Concurso de Música Carnavalesca promovido pela Fundação de Cultura da Cidade do Recife. A canção é uma parceria com o saudoso Maestro Josias Lima e foi interpretada pelo cantor Josildo Sá, tendo obtido uma boa execução em rádios da Capital, durante o período do carnaval.
Lançou no ano seguinte o CD “Dois no Frevo”, em parceria com o Maestro Josias Lima, onde foram incluídas composições de frevos de canção de sua autoria e dos compositores Fernando Duarte e Assis Calixto (Coco Raízes de Arcoverde), além de frevos de rua (instrumentais) de autoria de Josias Lima. Merece destaque neste disco a música “Sol de Olinda”, em que Kleber letrou melodia composta por ninguém menos que Luiz Gonzaga (o Rei do Baião) em parceria com João Silva.
Em 2015 lançou novo trabalho voltado para o forró, cujo título é "Cinema Novo", trazendo músicas de sua lavra e dos compositores arcoverdenses João Silva, Assis Calixto, Leandro Vaz, da dupla Paulinho Leite-Múcio Magalhães, Tonino Arcoverde e George Silva. Este CD foi contemplado pelo voto do público na categoria CD Cultura Popular Cantor no VII Prêmio da Música de Pernambuco.

Comentários