Gente que promove o Forró: Caju e Castanha

Tudo começou entre dois irmãos que gostavam de cantar emboladas e repentes com pandeiros feitos com lata de marmelada. Eram ainda crianças e cantavam nas praças, dentro dos ônibus, no meio da rua, atrás de uns trocados. José Albertino da Silva (Caju) e José Roberto da Silva (Castanha) ganharam o apelido que os tornaram famosos no Brasil inteiro. 

Depois de uma longa temporada no Recife cantando em programas de rádio e televisão, tiveram a oportunidade de participar de um filme documentário denominado “Nordeste: Cordel, Repente, Canção”, da cineasta Tânia Quaresma. A partir daí, surgiu o primeiro disco da dupla, com participações especiais de Zé Ramalho, e Elba Ramalho. 

Foi quando Caju e Castanha resolveram voar alto e se mudaram para São Paulo, onde participaram do movimento de arte urbana da grande cidade. Em 1980, participaram do “Som Brasil”, da TV-Cultura e ficaram no programa de Rolando Boldrin durante cinco anos, cantando emboladas e conquistando o grande público. 

Em 2001, José Albertino da Silva faleceu. Em seu lugar entrou o sobrinho Ricardo Alves da Silva. Em 2002, a dupla estrelou o curta-metragem “A Saga dos Guereiros Caju e Castanha conrtra o Encouraçado Titanic, dirigido por Walter Salles, que chegou a participar do Festival de Cannes. Ano passado, a dupla fez uma participação, cantando na minissérie da Rede Globo, “Amores Roubados” e nesse mesmo ano o álbum “Meu Deus aque pais éesse” foi indicado ao Grammy Latino de Melhor Álbum de Musica Regional ou de raízes brasileiras. 

Desde julho de 2012, a dupla comanda em São Paulo um programa popular na Rádio Capital (AM 1040) com músicas, participação dos ouvintes, muita alegria e descontração. De Segunda a Sexta de 01h às 03h, sábado e domingo de 01h às 04h. Escute Aqui

Por todo esse sucesso extraordinário de Caju e Castanha, dois excelentes repentistas e emboladores que marcaram presença no cenário nacional, ficam aqui registradas as nossas homenagens. 







Comentários