Lembrança de Edelzuita

Poucos a conheceram, mas ela foi a grande companheira de Luiz Gonzaga nos derradeiros dias de vida do “rei do baião”. Maria Edelzuita Rabelo era uma sertaneja nascida em São José do Egito. Conheceu Gonzaga numa festa em Caruaru. Naquele tempo, ela era noiva de Irandir Costa, que fazia o papel de Otrope, parceiro do Coronel Ludugero, ambos falecidos em acidente de avião. 

Mas, a lembrança que tenho de Edelzuita é a de que ela foi minha colaboradora, quando eu dirigia o programa de auditório de Jota Ferreira, na década de 80, na TV Jornal. Não sei quem a indicou para o “cargo” de jurada da bancada que julgava os calouros do programa, papel que ela, aliás, desempenhou com muita desenvoltura e competência. Foi nessa época que ela passou a conviver com Luiz Gonzaga e foi sua companheira até o dia de sua morte. Lembro que em um show no Geraldão, comemorativo do aniversário do programa de Jota Ferreira, Gonzagão era uma das atrações. Ao chegar no camarim, fui abraçado e beijado pela simpatia que era Edelzuita. Afagos de uma simples amiga e companheira de trabalho, Mas, “seu” Luiz não viu assim. Acompanhou a cena com cara de homem enciumado. Ciúme injustificado, mas certamente muito pertinente, porque ela era, naquela época, o verdadeiro amor de sua vida, mais do que teria sido a sua mulher Helena, de quem estava separado.

Edelzuita foi o grande apoio que Gonzagão contou no pior momento da vida dele, quando poucos foram os amigos que compartilharam a sua dor.

Edelzuita faleceu em 2005, vitima de leucemia. Hoje, os dois devem estar no céu fazendo um “forró” daqueles....

* Por Miguel Santos, jornalista e radialista.

Comentários